sexta-feira, 29 de abril de 2016

O povo de Israel oferecia animais em sacrifício para Deus ou Deus oferecia animais em sacrifício para o povo? - Controvérsia a partir de Lv 17.11


Por Cesar Rios

O povo de Israel oferecia animais em sacrifício para Deus ou Deus oferecia animais em sacrifício para o povo? - Controvérsia a partir de Lv 17.11

- Cesar, disseram-me que, no AT, diferente do que acontecia com todos os outros povos, não eram as pessoas que ofereciam sacrifícios para Deus, mas que Deus é que dava o sacrifício ou o animal em favor das pessoas. O que você acha disso?

- Em princípio, estranho. Desde Abel, parece que a Torah descreve o sacrifício como oferta que agrada a Deus. Inclusive, o holocausto, por exemplo, sobe para Deus em forma de fumaça.

- Mas e Levítico 17.11? Deus diz que Ele é que dá o animal em favor do povo sobre o altar!

- Vamos lá ver? Podemos ler na Almeida mesmo: "Porque a vida da carne está no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar...". Opa! Já temos um detalhe esquecido aí. Deus está dizendo que dá o sangue, não o animal ou o sacrifício. O pronome "lo" aí só pode se referir a sangue. E é o que faz sentido na leitura do hebraico mesmo (כִּ֣י נֶ֣פֶשׁ הַבָּשָׂר֮ בַּדָּ֣ם הִוא֒ וַאֲנִ֞י נְתַתִּ֤יו לָכֶם֙ עַל־הַמִּזְבֵּ֔חַ - O elemento recuperado no sufixo ligado ao verbo em negrito é claramente todo o sintagma também em negrito.

- Tá, mas e daí?

- Pois é.Vamos ver por que ele está falando disso. O versículo anterior mostra que o assunto é a proibição de se comer sangue.Proíbe sangue por nele estar a vida, e acrescenta o fato de que o sangue é especial por ser dado por Ele para a expiação de pecados. Agora, vamos ver de que tipo de sacrifício se fala nesse contexto.Vamos dar um tempo e ler o capítulo 16 todo também.



- E aí? Você percebeu algum detalhe importante?

- Não.

- Então, eu dizia que Deus diz em Lv 17.11 que dá o sangue, e, agora, fica claro que essa afirmação pode estar mais ligada a um tipo de sacrifício somente, e ter um sentido bem simples e direto.

- Ah é?

- Sim. No contexto mais próximo,fala-se do sacrifício para expiação do povo, e esse sacrifício tem total relação com o que se diz sobre o sangue no versículo que você citou. Observe que o bode morto não é queimado. Apenas sua gordura é queimada sobre o altar (Lv 16.25). As peles, carnes e excrementos são levados para fora e queimados também (Lv. 16.27). Já o sangue, meu caro, é separado e usado para expiação por meio da aspersão (claro, não é só nesse sacrifício que há expiação, mas nesse, de modo especial, é assim que se faz). Se, em Lv 17.11, Deus fala sobre esse sacrifício, e parece bem razoável isso, o que está dito é simples: O povo é que traz animais para Deus. Mas Deus instruiu sobre esse sacrifício específico de tal forma que não fica como todo o animal para si, mas separa o sangue (só o sangue) e o concede/dá ao povo para expiação. Se quiserem tirar conclusões, teria que se a partir desse fato.

- É. Faz mais sentido por esse caminho.

- Isso não quer dizer que a ideia defendida não possa ser defendida, mas que o texto usado (da forma como foi usado) não é adequado. Quando você achar que não entendeu um texto bem, procure considerar o contexto todo. Quando você achar que rapidamente entendeu um texto bem, procure considerar o contexto todo com ainda mais afinco. Ah, só pra terminar: não acho frutuosa essa busca exagerada por uma diferença absoluta entre a fé bíblica e todas as outras religiões. Pode haver semelhanças aqui e ali, mas a diferença (ou o Diferente) se imporá quando for a hora, ou, na linguagem bíblica, quando for a plenitude do tempo.